A Galinha que era Águia… ou a Águia que era Galinha. De qual parentela é você?

Águia ou Galinha - que bicho você é?

Águia ou Galinha – que bicho você é?

Certa feita, um homem encontrou um ovo de águia e o colocou debaixo da galinha que chocava seus ovos no quintal.

Nasceu uma aguiazinha com os pintos e com eles crescia normalmente.

Durante todo o tempo a águia fazia o mesmo que faziam os pintinhos, convencida de que era igual a eles.

Ciscava, ia ao chão buscando insetos e pipilava como fazem os pintos, e como eles, também batia as asas conseguindo voar um metro ou dois porque, afinal de contas, é só isso que um frango pode voar, não é verdade?

Passam anos e a águia ficou velha…

Certo dia, ela viu, riscando o espaço, num céu azul, uma ave majestosa, planando, no infinito, graciosa, levada, docemente, pelo vento sem nem sequer bater a asa dourada.

A águia do chão olhou-a com respeito e logo, perguntou ao seu amigo:

“Que tipo de ave é aquela que lá vai”?

“É uma águia! É rainha”, diz-lhe o amigo, mas é bom não olhar muito para ela pois nós somos de raça diferente, simples frangos do chão e nada mais.

Daí por diante, então, a pobre da águia nunca mais pensou nisso, até morrer convencida de ser uma simples galinha.

Texto de Anthony de Mello

Saudações!

Recentemente, em uma discussão no Facebook sobre o tema da desistência, ao falar sobre o fracasso como base para a experiência que leva ao sucesso, uma das pessoas participantes da discussão classificou minha ideia exposta como filosofia de quinta categoria.

Confesso que ao ler aquela pequena agressão fiquei chateado e pensativo sobre a afirmação desta pessoa. Porém, quanto mais penso sobre um assunto, mais aprofundo nele; e me perguntei sobre quais condições de vida tem uma pessoa que considera o aprendizado com as próprias experiências como “filosofia de quinta categoria”. Isto não pude responder, pois não conheço o contato do Facebook pessoalmente. Imagino, porém, que se não considero meus aprendizados, há uma forte tendência de eu continuar sem evoluir.

É para pessoas que estão transitando por estado semelhante – sim, estado, pois é perfeitamente superável – que escrevo este post.

A pequena história que introduz este post serve-me de reflexão e acredito que para você também.

Imagine-se águia vivendo como galinha.

Um ser de grandiosas potencialidades sendo, desde pequenino, domesticado, bloqueado, limitado.

Os seres “educadores” de tua infância ajudaram enormemente a criar uma consciência de galinha. E os que te rodeiam fazem esforço para te garantir aquela certa “educação”:

- Esqueça isto, você é só uma galinha.

Vamos fazer um cálculo simples aqui. A média de idade das pessoas que acessam o Eu Posso, Sim! é de 28 anos, o que corresponde a 10.220 dias ou 245.280 horas vividas, aproximadamente. Digamos que destas 245.280 horas, 5% apenas (para pessoas que convivem em um meio positivo, para as outras, como meios de baixíssima instrução, eu sugeriria até 30% deste tempo) foram aquelas horas em que foi reforçada a consciência galinácea. Isto quer dizer que 12.264 horas, até o momento, foi o que essa pessoa recebeu de “lavagem cerebral” (para as pessoas de baixíssima instrução, isto seria algo em torno de 73.584 horas de tortura) . Uma graduação de 4 anos, tem, em média, 3000 horas de aulas.

Isto explica o porquê uma graduação, na grande maioria das vezes, não é capaz de mudar a vida de uma pessoa, não é?

O que fazer, diante de uma quantidade exorbitante de reforçamentos negativos, de deseducações, de ausência de aprendizados estratégicos?

Aqui vai uma Dica de Sucesso:

Cerque-se, por todos os lados possíveis, de ideias positivas, de ideias que acrescentam o tempero da estratégia em tua vida. Por exemplo, compre livros que te ensinam como emagrecer de forma saudável se você tem buscado emagrecimento associado a saúde corporal, ou você pode acessar conhecimentos especializados sobre Investimentos (minha indicação pessoal para este item é o Curso de Alocação de Ativos se a ideia é enriquecer – indico este curso pelo motivo de ser formatado pela HC Investimentos).


Mas só livros?

Lógico que não. Cerque-se de pessoas que te incentivam a crescer, de filmes que te inspiram motivação, de ideias que te impulsionam a conquistar mais todos os dias, de músicas que te engrandecem como vencedor, de palavras positivas. Em poucos termos,

crie uma “lavagem cerebral” positiva!

Não será uma batalha fácil, mas garanto-lhe que assim, dia após dia, você se aproxima da vitória da guerra.

Lembre-se: águias não ciscam em busca de vermes.

Até mais e se cuida!

João Lins.

As 13 Características das Pessoas de Sucesso

Saudações, líderes de si!

O tempo estava muito corrido, eu estava estudando para prestar um concurso público aqui na Bahia e o foco foi total. Por isso que não publiquei posts, apesar de desenvolver algumas ideias. Além disto, meu filho nasceu e revelou para mim a Teoria da Relatividade de Einstein através da inversão do vetor tempo.

Traduzindo: madrugada em claro; dias no escuro. Expliquei? =D

Bem, fiz uma tradução livre do artigo “13 Characteristics of Successful People” publicado no site www.nextaff.com.

Características das Pessoas de Sucesso

Características das Pessoas de Sucesso

Passei muitos anos estudando pessoas de sucesso e tenho identificado as habilidades, talentos e características que lhes permitem ter sucesso. Quando você olhar e estudar essas habilidades, talentos e características, você vai perceber que você possui muitos deles em si. Algumas destas habilidades e talentos são mais dominantes do que outras e irá desempenhar um papel maior em seu ser, te ajudará a tornar-se um sucesso na vida. Estas são as coisas que você faz bem. As coisas que você faz com facilidade e sem esforço. Estes são os seus pontos fortes.

Quando você achar que precisa de uma habilidade ou talento que você não tem, basta ir para fora e olhar para uma pessoa ou grupo de pessoas com as habilidades, talentos e treinamento que você precisa. Habilidades e talentos que complementam o que você possui. Essas pessoas se tornarão como seus companheiros de equipe, colegas, colegas de trabalho, consultores profissionais, e amigos. Com essas habilidades combinadas e talentos organizados, você irá crescer, prosperar e tornar-se bem sucedido(a).

Estas são as cinco coisas em comum que você encontrará em todas as pessoas de sucesso:

1. Eles têm um sonho.

2. Eles têm um plano.

3. Eles têm conhecimento ou treinamento específico.

4. Estão dispostos a trabalhar duro.

5. Eles não aceitariam um “não” como resposta.

Lembre-se: O sucesso começa com um estado de espírito. Você tem que acreditar que você vai ser bem sucedido(a) , a fim de se tornar um sucesso.

A seguir está uma lista das habilidades, talentos e características que você encontrará em pessoas de sucesso:

1. Pessoas bem sucedidas têm um sonho. Eles têm um propósito bem definido. Eles têm um objetivo definitivo. Eles sabem o que querem. Eles não são facilmente influenciados pelos pensamentos e opiniões dos outros. Eles têm força de vontade. Eles têm ideias. Seu desejo forte traz bons resultados e eles vão fazer coisas que os outros dizem que não é possível ser feito.

Lembre-se: As pessoas que se destacam na vida são aqueles que produzem resultados, não desculpas. Qualquer um pode vir com desculpas e explicações sobre o porquê de não ter feito algo. Aqueles que querem ter sucesso não dão desculpas.

2. Pessoas bem sucedidas têm ambição. Eles querem conseguir alguma coisa. Eles têm entusiasmo, compromisso e orgulho. Eles têm auto-disciplina. Eles estão dispostos a trabalhar duro e ir muito mais longe. Eles têm um desejo ardente de ter sucesso. Eles estão dispostos a fazer o que for preciso para deixar o trabalho feito.

Lembre-se: Com muito trabalho vêm resultados. A alegria da vida vem com o trabalho para alcançar algo.

3. Pessoas de Sucesso são fortemente motivados com relação ao alcance. Eles têm uma grande satisfação em realizar uma tarefa.

4. Pessoas de Sucesso estão focadas. Eles se concentram em suas principais metas e objetivos. Eles não se desviam. Eles não procrastinam. Eles trabalham com os projetos que são importantes, e não permitem que esses projetos adormeçam até o último minuto. Eles são produtivos, não apenas ocupado.

5. Pessoas de Sucesso sabem como fazer as coisas. Eles usam suas habilidades, talentos, energias e conhecimento em toda a extensão possível. Eles fazem as coisas que precisam ser feitas, e não apenas as coisas que eles gostam de fazer. Eles estão dispostos a trabalhar duro e se comprometem a conseguir a tarefa feita.

Lembre-se: A felicidade é encontrada em fazer e realizar, não possuir e possuir.

Anedota: Muitos anos atrás me perguntaram: “Jeff, você gosta de hábitos agradáveis ​​ou resultados agradáveis​​?” Enquanto eu refletia sobre essa questão, e me contorcia na cadeira como um verme na ponta de um anzol, me senti como se eu tivesse me deixado num canto da sala. E alguns momentos depois eu respondi: “Eu gosto de resultados agradáveis.” A partir desse momento a minha vida mudou. Comecei a fazer as coisas que eram difíceis, porque elas me habilitavam para alcançar meus objetivos.

6. Pessoas de Sucesso assumem a responsabilidade por suas ações. Eles não criam desculpas. Eles não culpam os outros. Eles não lamentam e reclamam.

7. Pessoas de Sucesso procuram soluções para os problemas. Eles possuem a mentalidade que pensa em oportunidade. Quando eles veem oportunidades querem aproveitá-las.

8. Pessoas de Sucesso tomam decisões. Eles pensam sobre as questões e fatos relevantes, dando-lhes a deliberação e consideração adequadas e toma uma decisão. As decisões não são adiadas ou atrasadas, eles são feitos no agora, já!

Dica de Sucesso: Passe mais tempo pensando e planejando antes de tomar sua decisão e você vai tomar melhores decisões.

Dica de Sucesso: Quando você não obtiver os resultados esperados a partir da decisão que você tem feito, mude o seu curso de ação. As decisões nunca devem ser esculpidas em pedra.

9. Pessoas de Sucesso têm a coragem de admitir que cometeram um erro. Quando você cometer um erro, admita-o, corrija-o, e siga em frente. Não perca muito tempo, energia, dinheiro e/ou outros recursos tentando defender um erro ou uma má decisão.

Lembre-se: Quando as pessoas estão erradas, elas podem admitir para si mesmas. Se forem manuseadas com cuidado e com muito tato, elas podem admitir isso para os outros e até mesmo ter orgulho de sua franqueza e mente aberta. Mas as pessoas tornam-se muito defensivas e irritadas quando outros tentam empurrar seus erros goela abaixo.

10. Pessoas bem sucedidas são autossuficientes. Eles têm as habilidades, talentos e treinamentos que são necessários, a fim de serem bem sucedidas.

11. Pessoas bem sucedidas têm Conhecimento Específico, Treinamento e/ou Habilidades e Talentos. Sabem as coisas que precisam saber para ser bem sucedidos. E quando eles precisam de informação, conhecimento ou habilidades e talentos que não possuem, eles encontram alguém que os possui.

12. Pessoas de Sucesso trabalham e cooperam com outras pessoas. Eles têm positividade, possuem personalidade voltada para fora de si. Eles se cercam de pessoas que oferecem ajuda, apoio e encorajamento. Eles são líderes.

13. Pessoas de Sucesso são entusiasmadas. Eles estão animados com o que estão fazendo, e esse entusiasmo é contagiante. Eles atraem as pessoas para eles porque essas pessoas querem trabalhar com eles, fazer negócios com eles e estar com eles.

 

Deixe seus comentários aqui no vlog, eles são muito importantes para mim.

Se cuida, viu?

João Lins.

O que você quer ser: Pássaro ou lesma?

“Pássaro e lesma, o homem oscila entre o desejo de voar e o desejo de arrastar” (Gustavo Corção)

Lesma...

Lesma…

ou Pássaro?

ou Pássaro?

Saudações!

Hoje, vamos tratar de uma característica humana nada confortável. Aliás, em se tratando de sucesso, parece que o conforto só aparece em tempo futuro, não? (Ver Post sobre relação entre Conforto e Sucesso)

Vamos pensar em saúde.

Saúde?!

Sim, vejamos:

Muitas pessoas  (e não estou falando das que apresentam uma patologia chamada Transtorno Bipolar, o que corresponderia a cerca de 1% da população brasileira ou 8% dependendo do tipo, segundo a ABTB) apresentam um movimento sutil que varia entre o voar e o se arrastar. Essas são pessoas com as quais convivemos e vemos em todo e qualquer lugar. Pode ser você, pode ser eu, pode ser o vizinho…

Esse movimento é um movimento do desejo, aquela energia que falamos outrora no post A Preguiça Não Existe. Só que nesta discussão, o desejo está, ora direcionado para um lado, ora para outro. Oscila constantemente.

Sabe as pessoas que não conseguem finalizar uma meta, por menor que seja ela?

É o indivíduo que voa e se rasteja, oscilando constantemente. Ora é um belo pássaro, ora uma lesma, se arrastando lentamente.

Você inicia um projeto com todo gás e, de repente, a gasolina acaba no meio do rio e você morre na praia. (Confusa essa frase, né? Só brincadeirinha, mas você entendeu.)

Em outras palavras, você voa como um forte pássaro e no meio da jornada cai drasticamente a se rastejar, qual uma lesma.

Viver uma vida com desejos oscilantes é o mesmo que viver sempre em fracassos sucessivos. Mas não é isso o que você quer, afinal você está lendo um blog sobre Psicologia do Sucesso, certo?

Vamos aos fatos:

Oscilar no desejo significa que estou doente?

Não. Pelo contrário. Significa que você é perfeitamente saudável. É assim que o desejo funciona, é uma energia que é direcionada para um lado e para outro.

Ora, se oscilar é estar saudável, para que eu vou mudar isto?

Bem, estar saudável não significa que você não possa estar mais saudável. Se você deseja mais saúde emocional e física, vamos mudar esta característica.

Imaginemos o caso bastante comum de mulheres que desejam perder peso. Então, toda semana elas iniciam a dieta milagrosa da vez. E, como todos nós sabemos, nunca dá certo.

Bem, note que estas mulheres estão entre o desejo de emagrecer e o desejo de continuar no peso que estão. Voam e se rastejam constantemente.

Pergunta: com este movimento, elas saem do lugar?

Logicamente que não. Uma vez que oscilam, são como as ondas, movimentam-se para cima e para baixo. E aqui vai uma questão física: se as ondas se movimentam para cima e para baixo, como elas podem carregar objetos?

Elas só carregam objetos quando deixam de ter movimento ondulatório e quebram, como no mar. Note que as ondas que carregam objetos são aquelas que quebraram o padrão. Isso mesmo, para que as mulheres que desejam emagrecer saiam do lugar, é necessário quebrar o padrão.

Para conseguir quebrar o padrão oscilante, aconselho que você use tua mente para focalizar na meta que você traçou previamente. Mas não qualquer meta, use a técnica que ensinei no post sobre a diferença entre a cultura ocidental e oriental no que se refere a conquistas.

Paz e Sucesso.
Até mais,
João Lins.

Aprendendo com Elas a Libertar a Fera…

Saudações!

Este artigo chega de forma incomum, pois é o segundo em uma só semana. Mas é por um ótimo motivo!
E chega como um agradecimento misturado com aprendizado em homenagem à mulher e seu dia. Homenagem, em especial, à minha esposa que, publicamente, quero manifestar que sem ela a minha vida perderia o seu sentido.
Quero aproveitar este momento para pensarmos e aprendermos mais sobre conceitos que ficam, muitas vezes, escondidos em meio às informações que adquirimos sobre o que a História nos revela sobre o dia fatídico que virou símbolo internacional da Mulher.

Contextualizando

Atribui-se ao ano de 1857 a ocorrência de um incêndio que teria matado diversas mulheres de uma fábrica. Mas, segundo a socióloga Eva Alterman Blay, o incêndio que se relaciona ao Dia Internacional da Mulher foi o que aconteceu no dia 25 de março de 1911, nos EUA, na Triangle Shirtwaist Company, uma fábrica têxtil que ocupava do oitavo ao décimo andar de um prédio. Havia o total de 600 trabalhadores e, antes do incêndio se alastrar, muitos trabalhadores conseguiram sair da fábrica, restando, 146 pessoas que morreram nas instalações. Dentre estas 146 pessoas, 125 eram mulheres.

Em 8 de março de 1917 (23 de fevereiro pelo calendário juliano), a greve das operárias da indústria têxtil contra a fome, contra o czar Nicolau II e contra a participação da Rússia na Primeira Guerra Mundial precipitou os acontecimentos que resultaram na Revolução de Fevereiro. Leon Trotsky assim registrou o evento: “Em 23 de fevereiro (8 de março no calendário gregoriano) estavam planejadas ações revolucionárias. Pela manhã, a despeito das diretivas, as operárias têxteis deixaram o trabalho de várias fábricas e enviaram delegadas para solicitarem sustentação da greve. Todas saíram às ruas e a greve foi de massas. Mas não imaginávamos que este ‘dia das mulheres’ viria a inaugurar a revolução”. (excerto extraído de WikiPedia)

O que Aprendemos?

O primeiro ponto do que quero destacar é que a ação feminina frente a uma situação insatisfatória promoveu o estopim para a Revolução Russa de 1917. Isto nos dá a preciosa informação sobre o poder de influência que as mulheres possuem na sociedade. E, garanto, o poder de influência possui uma profunda relação com sucesso. Pensemos: são as mulheres que demonstram em seu comportamento o poder de seduzir, o poder de nos fazer – a nós, homens – ter aquele sentimento de dar a vida para protegê-las. São elas que possuem a característica natural de carregar a beleza. Portanto, com elas, aprendamos que está no que fazemos o modelo de aproximação para a obtenção de sucesso.

Mulher, Arte e Geração

Mulher, Arte e Geração

O segundo ponto de discussão que quero trazer é que, concretamente, são das mulheres a capacidade para gerar vida. Note que durante 9 meses elas carregam um bebê (ou uns bebês…) e esta criança se nutre dela e ela, afetivamente, deste. São elas que demonstram que para gerar algo de valor – uma vida – é necessário aguardar, ter paciência, cultivar, lidar com intempéries. Mas não é exatamente estas características que mais devemos alimentar em nós mesmos se desejamos obter sucesso em qualquer área de nossas vidas?

Ying-Yang

Yin-Yang

E, em terceiro e último lugar, destaco o ponto importante de que são vocês, mulheres, que equilibram o mundo das relações. A sabedoria oriental nos traz o símbolo Ying-Yang e, com este símbolo, o reconhecimento de que há duas forças que se relacionam e se complementam. Poderíamos dizer que se trata da relação masculino-feminino ou que, em todo masculino há um feminino e em todo feminino há um masculino. Não estou, com isto, dizendo que o homem é feminino ou que a mulher é masculina, mas que sabemos, todos que almejam o sucesso, que ao lidar com as relações profissionais ou amorosas, por exemplo, há momentos em que o que deve prevalecer é a leveza, a suavidade, seja na fala ou no fazer. Este é o lado feminino equilibrador, pois como bem disse Michel Foucault, onde há poder há resistência e se trata do momento em que não desejamos criar resistência, mas cooperação.

Esta é a homenagem que o vlog Eu Posso, Sim! oferece às mulheres e àqueles que convivem com este que discordo que seja chamado de sexo frágil.

Se cuida e até a próxima!

João Lins.

E o que Dilma Roussef tem a ver com meu Sucesso?

Saudações,

Este vlog foi criado com intenção evidente de trabalhar conceitos de Psicologia do Sucesso, técnicas de resolução de conflitos internos e externos, como você que acompanha já deve ter visto aqui. Então, exatamente hoje você lê uma publicação sobre “política”?!

Mas o que este vlog tem a ver com política?????

Fiquei amadurecendo estas ideias que logo vou expôr durante algum tempo.
Durante anos de minha vida fui afiliado a partido de esquerda com apoio a tantos outros partidos de esquerda. Minha ideologia corrente era a de que necessitamos de um País socialista. Mas a gente evolui em nosso conhecimento e cheguei à conclusão que o próprio criador da teoria socialista não era socialista, o Karl Marx. Como você deve saber, ele era sustentado pelo amigo Engels que o incentivava a pensar e escrever – vide o tamanho da obra O Capital, resultado do apoio financeiro do amigo. Além do mais, se você parar para pensar, os países ditos socialistas de nada tinham de socialismo, a não ser a falta de produtos básicos para a população e a extravagância financeira de quem estava no poder, demonstram que o socialismo, na prática, não existe.

Contexto

Então, há poucos dias recebi com impacto a notícia da absolvição dos mensaleiros por uma manobra dentro do Superior Tribunal Federal – STF. Este tribunal é o Guardião de nossa Constituição Federal, sendo presidido por Joaquim Barbosa – que em breve contarei da história de sucesso, deste brasileiro. A manobra? A nossa presidenta, Dilma Rousseff, como última desesperada cartada, nomeou dois novos ministros, o que modificou drasticamente o resultado do julgamento.

Alguns da esquerda – se é que esse bicho existe no Brasil -, poderiam pensar: “Esse João de nada sabe! Nem houve absolvição!” Usemos como exemplo, o caso de Dirceu: a redução de 11 meses de sua pena modificaria o resultado, uma vez que, sendo uma pena menor de do que 10 anos, ele poderia cumprir em regime semi-aberto. E foi o que ocorreu. Redução de pena e cumprimento, agora, em semi-aberto. Para mim, honestamente, dado o perfil dos mensaleiros – embolsamento de verba pública -, fiquemos, brasileiros, em estado de alerta.

A Resposta

Agora, vamos pensar em nossa pergunta inicial. O que isso tem a ver com a gente que busca o sucesso, seja na área profissional, amorosa, da saúde, etc.?

Usando a fala do Presidente do STF, “… esse é apenas o primeiro passo” para que se forme uma conjuntura que permita um Golpe de Estado. Com maioria no Supremo, o Executivo, na pessoa da Presidente Dilma, ganha ferramentas para aprovar até o inconstitucional, ferindo-nos na alma. Com a mídia nas mãos, o que chega a você por meio da TV é manipulado. Outra manipulação é que com as urnas eletrônicas a fraude corre solta. Antes, quando éramos primitivos e votávamos com Xzinho no papel, a possibilidade de fraude era mais difícil, pois podíamos alegar que houve erro na contagem, mas como está fortemente veiculado pela internet em diversas fontes (vide: o site especialista no assunto o Fraude Urnas Eletrônicas), no caso atual, você sabe em quem vota, eles sabem em quem você votou – primeira inconstitucionalidade, nosso voto deve ser SECRETO – e só eles sabem para onde foi o voto.

Já fui a favor do Bolsa Família – veja o exemplo do bichano que recebia este benefício – , mas não consigo perceber outra função que não seja a de cabresto para manter a percepção da população pobre – aquela, não por acaso, de maior número – sob controle e voltada para manutenção da esquerda (e isso existe mesmo?).

Percebeu que nossos meios legais de ação estão reduzidos a quase nada? Se na próxima semana houvesse um Golpe de Estado, em que situação fica quem empreende? E quem está se preparando para concurso público, como fica? E nossa família?

O que esse vlog tem a ver com política?!

Ora, nossa vida depende dos rumos que este País terá.

E você, vai ficar olhando coisas como o Foro de São Paulo, criado por Lula e inspirado por Fidel Castro, ganhar força e transformar nossa possibilidade de crescimento real com a concorrência que o capitalismo nos oferece em fumaça?

Lula e Fidel Castro (2003)

Pense você: onde você deseja que seu filho ou filha estude (ou estudará, se ainda não estuda)? Escola pública ou particular? Na particular, certo? Afinal, devido à concorrência, ela é muito melhor do que as escolas públicas. Não se envergonhe disto, isso significa que você sabe o que é importante de verdade.

A escolha é nossa, como cidadãos, de tomar as rédeas do Brasil ou sermos, nós, os burros de carga.

Quer se expressar?

Deixe comentários aqui na parte de baixo.

João Lins.

A Paixão e a Frustração

Saudações!

É muito bom ter você por aqui.

Olha, em primeiro lugar, quero convidar você a curtir a página do Eu Posso, Sim! no Facebook.
Você pode curtir aqui.

Em segundo lugar, quero adiantar para você que este texto é destrutivo, aterrorizante, amedrontador, pois nele vou esquartejar a paixão. Isso mesmo: abrirei cada pedaço deste sentimento e o desmistificarei.

É isto que você quer? Se não quer, saia imediatamente daqui, pois esse texto não é para você, confie em mim.

Mesmo?! Permaneceu? Então, vamos lá!

Para você, então, explico uma aparente contradição: este vlog trata da Psicologia do Sucesso, então por que destruir a paixão, um sentimento tão bonito?

Primeira explicação: não confunda beleza com intensidade arrebatadora.

A paixão é um sentimento infantil!

Segunda explicação: no final das contas, o que mais vejo é pessoas sofrendo com paixões e desejando um “amor tranquilo, com sabor de fruta mordida…”, entende?

Terceira explicação: Vamos entrar no mito de Narciso para entender.

Imagino que você já conhece, mas vou relembrar este belíssimo mito a título de ilustração:

O Mito de Narciso

O Mito de Narciso

Quando Narciso nasceu, sua mãe consultou um adivinho chamado Tirésias com a seguinte pergunta:
– Este meu filho de extraordinária beleza viverá até o fim de uma longa velhice?
Apesar da estranha pergunta, Tirésias respondeu:
– Sim, se ele não se conhecer.

Narciso cresceu e, a cada dia, sua formusura parecia infinita. Rejeitava todas as moças e ninfas que desejavam seu amor.

Um dia, Narciso caçava na floresta quando uma ninfa, chamada Eco, o viu. Eco havia recebido uma punição de Hera e, por isso, só tinha a capacidade usar a voz se fosse para repetir os sons das palavras dos outros. A ninfa, ao vê-lo, logo se encantou de amores e pôs-se a segui-lo, já que não podia falar. A ansiedade a fez se lançar num abraço com Narciso. Naturalmente, Narciso a empurrou, rejeitando-a. Eco se envergonhou, desprezada.

Fugiu e se escondeu entre folhas nos bosques. Foi tamanho o sofrimento, que a ninfa foi se desfazendo, sendo consumida por aquele amor rejeitado, até que chegou a pele e osso. Neste estágio, o corpo de Eco se dissipou pelos ares, restando-lhe apenas a voz.

Um dia, após caçada no bosque, Narciso se sentiu cansado e com sede, avistou um rio de águas límpidas. Baixou-se para beber água
e viu o reflexo de sua imagem nas águas do rio. Esta visão o fez estagnar-se diante daquela imagem tão bela. Nada conseguia mover
Narciso dali; nem sede, fome, frio ou calor. Tentou, por diversas vezes, alcançar aquele ser encantador lançando seus braços naquelas águas.

Tentava se comunicar:
– Oi!
– Oi! – respondia Eco, contemplando-o.
– Vem…
– Vem…

Era inútil tudo que ele fazia ou dizia. Então, num ato de desespero, com o desejo de encontrar aquele ser tão formoso, Narciso se lança no fundo daquelas águas para não mais voltar. E diz-se que, dali em diante, uma flor nasce, constantemente, da beira do rio.

Flor de Narciso

Flor de Narciso

Foi do mito de Narciso que nasceu o conceito de narcisismo e a inspiração de um trecho da música Sampa, de Caetano Veloso. ; )

Já “que Narciso acha feio o que não é espelho”, então podemos deduzir que Narciso acha bonito o que é espelho.

Mas o que Narciso tem a ver com paixão?

Ora, Narciso se apaixonou por quem?
Por ele mesmo, sua imagem própria refletida na água daquele rio.

Notou o quanto ele sofreu por não ter sua paixão correspondida?

Agora, a pergunta é para você: você já observou que toda paixão não é correspondida? Que toda paixão deixa buracos enormes de sofrimento?
Isto ocorre pelo simples fato de Narciso se apaixonar por ele mesmo você se apaixonar pela sua própria imagem.
Quando você encontra uma pessoa dita apaixonante, desculpe, é por que você está vendo a si mesmo/a naquela pessoa.
Você, durante toda a vida, tem se apaixonado por você mesmo/a.

Agora, você pode perguntar: mas se eu me apaixono por mim mesmo, por que toda paixão – ou a maioria delas – me traz sofrimento?
A resposta é que você se apaixona, especificamente por uma parte de você. Alguma parte que é ideal para você, que você almeja alcançar, que provoca em você um sentimento de profunda admiração. Chamamos a isto de projeção. Projeto no outro uma característica que é minha.
Se esta parte é “ideal”, significa que está no campo das ideias, é perfeita (e nós já discutimos sobre o efeito da perfeição AQUI no vlog).

Logo, toda paixão tende à ruptura. Tende ao fim. Isto, pelo simples motivo de que você muda, se transforma, seus ideais se transformam com o tempo. Em outras palavras, se você se apaixona por uma parte ideal que é de você mesmo/a e você muda constantemente, então toda paixão vai ser frustrada constantemente, pois ninguém será capaz de suprir essa necessidade.

“Então, não poderei mais me apaixonar?” – você pode perguntar.

Pode, sim. A diferença é que se você for se apaixonar, que seja por vontade consciente, não por sentimentos obscuros que te levam a pensar as maiores atrocidades. Que seja por escolha, por amor ao sentimento que se tem pelo outro.

Menos narcisismo e mais amor para você!

E já que esta postagem está super musical, curta, agora, Sampa, de Caetano Veloso com participação de Maria Gadú, ao vivo.

Se cuida, tá?

João Lins.

A Preguiça Não Existe

Preguiça não mata, mas...

Preguiça não mata, mas…

Saudações a você que acompanha o Vlog Eu Posso, Sim!

Fiquei uns bons dias sem publicações por questão de dúvida e mais…

Explico:

- Perdi meu gravador de áudio e a produção de meus vídeos estão impedidas;

- Mudei-me de estado, agora estou morando na Bahia;

- E para fechar o conjunto de mudanças com chave de ouro, minha esposa está grávida e teremos um lindo garoto que em breve dará as caras!

A dúvida se tratava de continuar ou não continuar sem vídeos. Mas lembrei-me de uma frase que um amigo me disse um dia:

“Feito é melhor que perfeito.”

Então, lá vai!

Costumamos ouvir pais reclamarem, ou mesmo amigos falarem que determinada pessoa é preguiçosa.

Bem, neste post de reinício, quero destruir essa ideia de tua cabeça, pois ao fazer isto, sei que você ganhará uma nova ferramenta para o seu sucesso profissional, pessoal ou até amoroso (acredite).

Bem, o que chamamos de preguiça?

Corrija-me se eu estiver errado, mas este bicho a esta coisa que chamam de preguiça não se trata da falta de energia para fazer algo? A preguiça não se trata de um estado em que o indivíduo não se anima em executar uma tarefa?

Preguiça é a mãe de todos os Vícios

Preguiça é a mãe de todos os Vícios

Agora, pensa comigo: esse mesmo indivíduo “preguiçoso” não é o mesmo indivíduo que se for convidado para fazer determinada coisa que ele gosta se anima todo?

Mesmo que isto signifique ir a uma festa, não parece contraditório que chamemos este indivíduo de “preguiçoso”, como se essa fosse uma essência do dito cujo?

O que quero te dizer é que a preguiça realmente não existe. O que existe é a falta de energia para algumas tarefas. A conclusão que podemos ter é que, se a preguiça de fato é ausência de energia para certas coisas, então todos nós somos preguiçosos em algum aspecto, certo?

Vamos avançar um pouco mais nesta ideia: a psicanálise nos ensina que esta energia se chama desejo. Que o desejo é a energia básica da vida, é a que faz com que sintamos prazeres, é o que nos motiva a fazer – quando ela está ativa – ou nos motiva a não fazer – quando ela não está ativa para aquela atividade.

Ou seja, agora vai ficar difícil você querer chamar o seu irmão de preguiçoso. Até porque você também tem essa “preguiça” relacionada a alguma atividade específica.

Mas o que fazer quando a nossa energia do desejo não está direcionada para algo útil como passar num concurso, crescer na empresa que trabalhamos ou investir no relacionamento que estamos apostando?

Eu gostaria de dizer isto de outra forma, mas acho que assim soa melhor:

A solução é tomarmos vergonha na cara e mudar de ATITUDE. Mudar de atitude é mudar de foco, mudar de ponto de vista em relação a determinada coisa.  É necessário procurar motivos pessoais naquilo que temos que fazer.

Note que estou falando daquilo que sabemos que necessita ser feito e achamos que não temos energia para fazer. É preciso que você encontre um prazer na atividade, um prazer seu, que tenha a ver com sua vida, que faça sentido para você, que te coloque no centro daquela atividade.

- “Mas João, e se eu não encontrar?”

Ora, muda de emprego, de relacionamento, de estratégia de ganhos…

Então, se você me disser que não encontra e também não quer essa “mudança tão radical assim”, eu te digo que você necessita de ajuda profissional. Consulte um de meus colegas psicólogos. São profissionais que vão te ajudar em casos como este, seja confiante.

Qualquer coisa, é só comentar aqui embaixo, beleza?

Se cuida e até a próxima!
João Lins.