Os Insistentes são chatos, não é? Mas o que isso tem a ver com Sucesso?

Saudações!

Há alguns anos, durante minha graduação em Psicologia, comecei a observar em mim mesmo que tenho padrões de resposta diante de certas situações. Por exemplo, comecei a observar que determinados assuntos me causavam irritação. Isso foi um passo importante em meu autoconhecimento e na possibilidade de mudança deste padrão. Mas este post não está aqui para tratar de mim.

Na verdade, quando constatei que tenho padrões de resposta, comecei observar que cada pessoa tem um conjunto de respostas particulares. Isso não é novidade para ninguém, afinal, como dizemos, “cada cabeça é um mundo”, cada pessoa é individual, tem sua própria personalidade. Mas este ainda não é o ponto que quero chegar.

O ponto é que, posteriormente, descobri que existem mentalidades que são comuns a determinadas pessoas. Através de um livro – que irei indicar ao final deste post – descobri que existem duas mentes no que se refere a sucesso financeiro: uma mente pobre e uma rica. Também, ao final do post, vou te ensinar uma técnica que ativa em você uma mente poderosa no que se refere ao sucesso financeiro.

A mentalidade pobre é aquela que não consegue enxergar as ferramentas que possui pelo fato de não saber que elas existem. Vou traduzir: no mundo, ou na realidade, há riqueza de oportunidades e ferramentas que todos nós podemos usufruir. Mas a maioria das pessoas não consegue enxergar ou perceber estas ferramentas e oportunidades – acesse o post sobre O PODER DA PERCEPÇÃO e aprofunde este assunto.

E por que a maioria das pessoas não consegue perceber? Pelo motivo de elas olharem para a realidade e, por mais esforçadas que sejam, batem sempre no mesmo ponto da barreira que é levantada pelo Universo. Ah, um parêntese que vou levantar aqui!

Sempre que você estiver avançando rumo ao seu sucesso, uma força do Universo – Cosmo, Energia Superior, Deus ou Inteligência Superior (como gosto de chamar) – irá te testar e criará barreiras para que você aprenda como manter seu sucesso após conquistá-lo. É um teste da Inteligência Superior para que você cresça e se fortaleça.

Voltando: a barreira levantada é encarada pela maioria das pessoas, as comuns como um muro intransponível e indestrutível – acesse o post OS 5 COMPORTAMENTOS DO SUCESSO para saber mais sobre isto. Há uma parcela deste grupo que insiste, tem um pouco mais de energia do que aquelas pessoas que desistem à primeira barreira, e forçam esse muro para que ele caia até perceberem que não vão conseguir isto.

Imagina a seguinte cena:

Daniel está de frente para um muro. Ele é um cara esforçado e acredita que pode atravessar o muro e acessar o outro lado. Em seu primeiro movimento, Daniel dá socos no muro. Percebe que assim não dá. Então, ele começa a chutar. Percebe, mais uma vez, que assim não dá. Pega um martelo e começa a golpear o muro. Percebe que o muro é mais forte do que parece. Olha para aquela parede e pensa: “É, eu tentei… Deixa para lá!” E sai. Ele desistiu.

Agora,

imagina a Gabriela… Ela também é esforçada. Está de frente ao mesmo muro que o Daniel estava. Ela pode até dar socos no muro, mas ela pensa antes. Olha o tamanho do muro, analisa a dimensão e a espessura. Sai e pega uma marreta. Golpeia o muro e percebe que o muro não será derrubado assim. Então, ela amplia as possibilidades dela e pega uma corda para tentar pular por sobre o muro. Tenta e não consegue. Pega uma pá para escavar e atravessar por baixo do muro. Tenta e não consegue. Então, enfim, ela pensa mais simples e decide: “Posso ter que andar um pouco mais, mas vou rodear o muro.” E atravessa chegando ao outro lado pegando um caminho alternativo.

Qual a diferença entre os dois?

A principal característica do Daniel é ser insistente. Da Gabriela, é ser persistente.

A palavra insistência tem o prefixo “IN” que, além de significar “dentro”, dá a ideia de que algo atinge um ponto fixo. No caso, in-sistir é o mesmo que bater sobre um mesmo ponto.

Por outro lado, a palavra persistência tem o prefixo “PER” que deu origem à palavra “por” no sentido de “através”. No caso, per-sistir tem a ver com uma capacidade de atravessar algo, passar para além de algo.

A mentalidade pobre tem o padrão insistente como o único recurso de decisão, quando possui este recurso. Por isso, são as que mais desistem diante dos desafios da vida. Com este padrão, como batem apenas em um ponto da barreira, não conseguem analisar e conhecer de que é feito a totalidade do muro, qual a altura, quais as fraquezas, etc.. E só conseguem enxergar os problemas. As ideias que habitam a mente pobre são mais ou menos assim: “Droga, não consigo fazer isto!”, ou “Infelizmente, isso não vai dar certo.”, ou ainda “Por que será que nunca consigo?”.

De outro lado, o modelo mental das pessoas de sucesso é que o padrão mental delas é filtrar as barreiras que aparecem como a seguinte ideia: “Como posso atravessar esta barreira?”. Ao perguntar isto, as pessoas de mente rica usam sua mente para criar soluções, ao contrário dos insistentes. De forma persistente, a mente rica é estratégica na criação do plano que irá levá-la ao sucesso.

Agora que você pensou sobre isto, que tal pôr em prática uma técnica que as pessoas de sucesso usam?

 

Persistência: a Técnica

A persistência, como qualquer comportamento humano, pode ser desenvolvida e pode fazer parte do que você é. Vamos à técnica!

Lembre-se de um problema que tem afligido você. Agora utilize as seguintes perguntas de poder respondendo-as honestamente para si:

1-     Quais soluções existem para este tipo de problema?

2-     Das soluções que consegui descobrir, qual a mais viável e que pode beneficiar o máximo de pessoas ao mesmo tempo?

3-     Destas soluções, qual – ou quais – posso pôr em prática agora mesmo?

Fazendo estas três perguntas sempre que aparecer um problema, a sua mente estará sendo treinada para ser persistente e ter um poderoso padrão de riqueza.

E falando em riqueza, vou te indicar o livro que mudou minha percepção sobre como construir riqueza. Se você quiser comprá-lo pelo link que estou disponibilizando, receberei uma comissão e você estará tendo acesso a um conhecimento fantástico.

O livro é “Segredos da Mente Milionária” de Harv Eker. Se quiser adquiri-lo, pode ser por AQUI ou clicando na imagem abaixo.

Segredos da Mente Milionária - Eu Posso, Sim!

Segredos da Mente Milionária – Eu Posso, Sim!

Muito obrigado e até a próxima postagem!

João Lins.

Anúncios

As 3 Zonas de Transição para o Sucesso

Saudações a você!

Em primeiro lugar, muito obrigado pela sua visita aqui no vlog Eu Posso, Sim! A sua presença aqui faz a diferença para mim.

Como eu falei na ÚLTIMA POSTAGEM, hoje vamos tratar d’As 3 Zonas de Transição para o Sucesso. Mas antes de tudo, quero te convidar a baixar a nova versão do e-book “Como Transformar Sonhos em Ouro: 6 passos para a transmutação do desejo” onde acrescentei informações baseadas nos feedbacks que recebi a partir da primeira versão. Aproveite e tenha uma ótima leitura!

Ah, nesta postagem estou experimentando uma nova forma de fazer os vídeos. Você vai perceber a diferença. =D

Agora, vamos à postagem de hoje!

A Zona de Conforto

A Zona de Conforto é a primeira e mais vivenciada zona que nós, humanos, possuímos. Este é o lugar que você mais tem costume, é onde você se sente mais à vontade, pois aqui estão os seus hábitos. Como são hábitos, você se sente totalmente confortável aqui. É o trabalho que você se acostumou e que até se pergunta se saberia fazer outra coisa se saísse dele; é o relacionamento que já não te dá prazer, mas que você está tão acostumado que nem cogita a possibilidade de mudá-lo; é o nível de conhecimento que você possui e que, já que é o que você sabe – e está acostumado – não busca novos conhecimentos, não renovando suas ideias.

Esta é a fase inicial de sua jornada de vida. Se você ficar aqui terá uma vida sem sentido, sem graça, sem prazer. Aqui você vivenciará o tédio. E o tédio, como aprendi há alguns anos, tem forte parentesco com a preguiça.

“Mas se esta zona é tão negativa assim, porque eu continuo nela?” – você pode se perguntar.

A zona de conforto te dá segurança!

Mas esta resposta exige outra pergunta: “segurança contra o que?”

Resposta:

Segurança contra os seus medos. Todos os nossos medos são abafados, calados, na zona de conforto. Nosso medo de perder, medo de não dar certo, medo de ser zombado, medo de ser ridicularizado, medo de não conseguir, medo de alcançar o topo e perdê-lo lá em cima – isso é mais conhecido como “medo do sucesso”, entre outros.

A Zona de Desconforto

Já tratei desta zona no post A ZONA DE (DES)CONFORTO. Mas aqui vamos aprofundar ainda mais esta importante fase de transição para o sucesso. A zona de desconforto pode também ser chamada de zona de vulnerabilidade.

Imagine a lagarta que está no casulo. Ela se desenvolve e começa a sair do casulo que representa sua zona de conforto, começa a transitar pela zona de desconforto. A pequena borboleta está em sua maior vulnerabilidade, pois nesta fase é alvo fácil para qualquer pássaro que a veja. É uma experiência perigosa e dolorosa, mas extremamente necessária para o crescimento da borboleta. Então, ela supera esta parte de sua jornada rumo a uma nova experiência. Antes, uma lagarta que se rastejava e não conseguia ao menos olhar o céu; agora, uma bela borboleta que encontra no céu o seu espaço de vida liberta. Esta é a metáfora.

Esta transição é desconfortável exatamente porque ativa em nós a nossa vulnerabilidade, nos deixando inseguros. É como ouvi de uma colega há muito tempo ainda em minha graduação:

“Quanto maior o mico que você paga, mais você cresce.”

Entendeu o espírito da coisa?

A Zona de Possibilidades

O mocinho sai da casa de seus pais e vai explorar o mundo. Acaba sendo jogado em meio a uma floresta cheia de animais ferozes. Ele inicia assim sua jornada de crescimento. Tem experiências terríveis, de alto risco de morte, supera uma a uma, dia após dia. Se alimenta com o que a floresta lhe oferece e sobrevive. Aprende como despistar leões e como derrubar bichos para ter acesso a proteínas. Enquanto aprende e sobrevive, segue sua jornada até que um dia ele consegue sair daquele labirinto de folhas e bichos e acessa uma cidade rica, decorada de diamantes, ouro e prata.

Para chegar nesta zona, uma jornada deve ser experienciada. Trata-se da mais difícil e rara experiência que os humanos possuem. Em termos práticos, a maioria das pessoas possuem um só ponto de vista sobre a realidade e, por isso, vive sem opções ou quando muito, possui uma opção. Digamos, na melhor das hipóteses, (a) ficar e enfrentar o problema ou (b) fugir. Sendo que a alternativa “b” é a mais acessada.

Sem opções, não temos espaço mental para conquistar. A Zona de Possibilidades é a zona que te oferece um leque de opções e, tendo mais opções, melhor para você. Note que o sucesso pode ser medido a partir da quantidade de opções que você dispõe.

Ter duas opções é melhor do que ter uma; ter três opções é melhor do que ter duas.

A Zona de Possibilidades é, por excelência, um portal que, ao ser atravessado, te dará acesso a riquezas crescentes.

Mas não se engane. A Zona de Possibilidades tem um fim bem definido. Ela termina exatamente onde irá começar uma nova Zona de Conforto. É um ciclo. Ou melhor, é uma senóide, como uma mola. É circular, mas segue à frente, pois a vida é movimento e evoluir é uma missão que todo humano possui.

Até a próxima postagem!

João Lins.

O Segredo dos 5 Comportamentos do Sucesso

Seja bem vindo e seja bem vinda ao vlog Eu Posso, Sim!

Nesta postagem, vamos finalizar nosso trabalho de detalhamento dos cinco comportamentos que fazem a diferença real nos resultados que obtemos. Para obter sucesso, devemos concentrar nossa energia naquilo que é realmente necessário.

Imagina a pessoa que trabalha com vendas e oferece seu produto para um público que não tem o perfil necessário. Digamos, uma vendedora de lingerie que aborda, em sua maioria, homens. Apesar de se tratar de humanos, o resultado é quase matemático, não haverá sucesso. Para ter sucesso, essa vendedora terá que concentrar suas energias no público que tem potencial real de compra. Por isso, hoje você acompanhará as ideias que colhi sobre o Esforço, o Foco e a Persistência. Se você quiser saber sobre Vontade e Disciplina, veja o POST ANTERIOR  acessando agora.

Esforço

Quando nos esforçamos, estamos dizendo para nós e para o Universo o quanto aquilo é importante para nós. Convenhamos, a gente reconhece quem não tem interesse em algo pelo simples fato de haver ou não haver esforço. E nem adianta dizer que você tem um determinado sonho e que ele muito forte se você não emprega energia para fazer acontecer. Desculpe a sinceridade, mas seu sonho é só um sonho infantil e precisa amadurecer para se concretizar no mundo real.

O Universo é energia (e não estou reinventando a Teoria da Relatividade de Einstein). Para haver matéria, energia deve ser condensada, comprimida. Logo, matéria é energia, você sabe disto. E como você irá materializar um sonho? (Lembro-lhe que sonho é feito de pensamento, energia).

É preciso empregar esforço para comprimir esta energia e transformá-la em algo material, palpável.

Em outras palavras, vá para a ação com energia para fazer o que deve ser feito. E se não tiver energia para isto, crie! Esforço é necessário para que você consiga sair da zona de conforto e acessar a Zona de (Des)Conforto. Após acessar esta zona, você irá mergulhar na última zona, a Zona de Possibilidades. Mas vou falar sobre ela mais à frente quando te explicar detalhadamente as 3 zonas de transição para o sucesso.

Assine o Vlog Eu Posso, Sim! assim que terminar de assistir/ler esta postagem.

Foco

Na sua opinião, o que significa uma pessoa que diz fazer de tudo, que diz ser capaz de trabalhar em qualquer área?

Trata-se de uma pessoa generalista. Não possui foco, não possui especialidade. Significa também que obter sucesso nestas condições é muito, mas muito mais difícil, uma vez que ser visto como uma pedra rara nestas condições é quase impossível. É como uma agulha de prata em meio a centenas de outras agulhas de metal comum. É rara, valiosa; mas é difícil de ser enxergada.

Ao focar em um objetivo, a sua mente irá trabalhar ao seu favor para contribuir com o seu sucesso. Digamos que em seu trabalho você precise digitar uma comunicação interna para algum departamento, mas a todo momento aparecem pequenos “incêndios” a serem apagados. Então, como se trata “só” de uma comunicação interna, você vai pessoalmente apagar o incêndio. Até que, enfim, o dia de trabalho termina e você não escreveu as míseras 7 linhas do documento.

Sem foco, a produção de resultados fica defasada. E como complemento lembre-se de minha definição de sucesso:

Sucesso é a sucessiva administração de resultados.

Agora, imagine-se água, gotejando sobre a rocha. Lentamente você vai escavando, perfurando gradualmente até chegar ao outro lado. É assim que você deve agir, este é um dos 5 comportamentos do sucesso que irá fazer a diferença em suas conquistas. Focalize no local onde você vai atuar, condicione sua mente para que ela trabalhe ao seu favor e o sucesso irá chegar a ti.

Persistência

Por fim, falaremos sobre a ambicionada persistência. Eu desconheço qualquer pessoa que tenha obtido sucesso em qualquer área da vida e que tenha desistido. Desistir é derrotar-se. Persistir é a projeção do sucesso; persistir não é o sucesso em si. O sucesso é a materialização desta persistência. Note que as barreiras que surgem ao sucesso são normalmente vistas como fracasso e já tratamos sobre o tema do fracasso aqui. Se quiser pode acessá-lo agora mesmo NESTA CONEXÃO.

As pessoas comuns lidam com as barreiras como se elas fossem intransponíveis, indestrutíveis e atemporais. É impossível de atravessar, é impossível de fazê-las em pedaços e não sofrem mudança no tempo. Por este motivo que normalmente – segundo a norma cultural que temos – as pessoas olham as barreiras como se estas fossem o fim do caminho, o ponto final.

Mas as pessoas persistentes, as incomuns, sabem que toda barreira pode ser transposta. Ou pulam por sobre o muro; ou contornam, mesmo que andem mais; ou explodem-no. De qualquer modo, sabem que com o tempo encontrarão o ponto fraco daquela barreira que surgiu e atuarão naquele ponto até vencerem.

Foi a persistência que fez a lâmpada incandescente ser inventada pelo Thomas Edison; que fez o Michael Jordan se tornar o melhor jogador de basquete do mundo; que faz do Dr. Nicolelis um exímio brasileiro a ser cogitado para um prêmio Nobel.

Notou o motivo de a persistência ser o último comportamento a ser dissecado?

Sem vontade você não tem energia para ser persistente.
Sem esforço você não tem ação para promover a persistência.
Sem disciplina você não tem motivação para fazer acontecer a persistência.
Sem foco, a persistência não faz sentido, já que você pode ir para outros locais alternativos diluindo sua energia.
Sem persistência nenhum comportamento anterior tem valia, pois é como se tivessem se despedaçando no vento.

Persistir é dar solidez a ideias. Ideias que são somente energia dispersa se materializam com a persistência. Saem do mundo perfeito, ideal e vão para o confronto com a realidade.

E, aliás, é aqui que habita o segredo: ideias são ideais e, portanto, perfeitas, sem defeitos; os persistentes possuem a coragem de romper com o conforto desse mundo “perfeitinho” e ir para o mundo real, concreto, que dói, fere e faz sangrar, e que também nos faz ter prazer e sorrir. Os persistentes põem à prova as suas ideias. Desejam vê-la se concretizar. São os persistentes que constroem o mundo, que o modificam, que o colorem de cores diversas.

Se cuida, pois já estou preparando a próxima postagem dedicada a você.

Até lá!

João Lins.

Dissecando os 5 Comportamentos do Sucesso: Vontade e Disciplina

Seja bem vindo e seja bem vinda ao vlog Eu Posso, Sim!

 

Vontade, disciplina, esforço, foco e persistência se relacionam criando um forte intrincado que cria uma rede protetora e fortalecedora de sua vida. Quando administradas ao seu favor, produz efeitos incomparáveis.

A vontade é a energia propulsora, é o combustível. O esforço é a utilização desta energia transformando-a em movimento. A disciplina te ajudará a se movimentar de forma padronizada no tempo. O foco te ajudará a usar essa movimentação padronizada no espaço, no mundo material, palpável, num local exato. E a persistência é como uma membrana, uma capa protetora de todo esse sistema, ela coordena para que a palavra desistência seja apagada do dicionário mental que possuímos. Os 5 Comportamentos do Sucesso te conduzirão à conquista quando usados de forma conjunta.

Por este motivo que irei dissecar cada um deles aqui no vlog Eu Posso, Sim!

 

Vontade

Como eu disse no post passado, somos seres de vontade, pois somos seres que possuem egos. Nossa vontade é governada pelo ego que possuímos. Se você tem vontade de trabalhar em algum local ou função específica, é por que isto agrada ao ego; se você “tem preguiça” de executar alguma função ou trabalho, é por que isto é desprazeroso ao ego; se você tem vontade de comer uma comida agora e quando você vai pegar alguém derruba o alimento no chão, isto irá ser frustrante e desagradará ao ego, logo você se irritará.

O ego tem a força de mover você a executar algo. A motivação que você possui passa pelo ego, deve ser harmônica com o ego, deve agradar ao ego. Mas nem sempre o que necessitamos fazer é o que temos motivação para fazer. Em outras palavras, nem sempre o que te levará ao sucesso é o que você possui disposição para fazer, entende? Há um bicho de unhas grandes que gruda nas costas de muita gente e se chama preguiça!

A Vontade é um dos cinco comportamentos do sucesso exatamente pelo fato de que sem vontade você não sairá do lugar, ficará sentado e engordando na frente da televisão alimentando sua frustração consigo mesmo e isto te levará a ter um tédio terrível e, logicamente, uma preguiça insuportável.

A Vontade, portanto, deve ser governada por você. Você deve ativá-la fortemente para que ela supere qualquer milímetro de desânimo ou falta de energia para executar a tarefa necessária. A dica é buscar em tudo que for necessário ser feito, elementos que se ajustam ao ego. Por exemplo, se você está estudando para concurso público, há momentos que a motivação estará em falta. Lembre-se das vantagens financeiras e sociais de estar ocupando um cargo público, visualize-se já de posse do cargo, use o poder da imaginação para isto. Aproveita e baixe o e-book “Como Transformar Sonhos em Ouro: 6 passos para a transmutação do sucesso”, onde ensino como usar a imaginação para obter sucesso pessoal.

 

Disciplina

Vou reafirmar, pois é importante: nós, humanos, amamos fazer nada, dormir, comer, sentir prazer sem esforço, etc. E como amantes da preguiça, destacam-se os humanos que conseguem viver fora deste padrão. Quer dizer, todos nós amamos a vida preguiçosa de “sombra e água fresca”, mas esta vida é improdutiva, não gera riqueza em nenhum nível, seja financeiramente, socialmente ou em termos de saúde.

Somente quem quebra o padrão “preguiçoso de ser” é que avança rumo ao sucesso.

O que é um hábito?

É a repetição de um comportamento pelo simples fato de ele ser confortável. Se você não tiver costume com um determinado comportamento significa que ele ainda não se tornou um hábito, logo ele está fora do padrão “preguiçoso”. A sua tendência natural é deixar de fazer e voltar ao padrão anterior – “preguiçoso”. Assim, a sua tendência natural é não evoluir, é ficar na mesma.

Para que você tivesse a capacidade de ler, quando criança você teve que se esforçar muito para dar conta de ler com a capacidade que você possui hoje. E hoje, quase nenhuma energia é empregada. Antes não era um hábito, mas ler se tornou um, por isso hoje ler é confortável.

Imagine que ao redor de você existe uma energia, um campo de força. Quanto mais você aprende coisas novas, hábitos novos, mais você amplia o campo de força. Para ampliar seu campo de força em relação à leitura, por exemplo, adquira o hábito de ler em outra língua. Será desconfortável no início, mas em breve se tornará um hábito. Adquirir novos hábitos é como ampliar nosso campo de força. Mas para criar novos hábitos, necessitamos da ajuda da disciplina, sem ela não teremos a liberdade, seremos sempre prisioneiros de nossa biologia preguiçosa.

Quer se tornar um exemplo em disciplina? (Não, não preciso te incentivar a servir as Forças Armadas, apesar de ser uma ótima opção.) Minha dica pessoal é que você use ferramentas do dia-a-dia para se disciplinar. Por exemplo, você gostaria de ir à academia todos os dias da semana, mas acordar cedo é complicado para você? Então, pega teu despertador, prepara ele para o horário certo. Antes de dormir, deixe-o distante o suficiente para que você não o alcance sem se levantar.

O despertador alarmou e você foi desligá-lo. Já que você teve que se levantar para desligar o despertador, aproveita e pega o tênis. Sua meta é calçá-lo e amarrar os dois cadarços. Se quiser, tome um banho frio antes. Se pensar em banho quente, deixa para lá, vá para academia sem banho mesmo. Mas antes, ponha uma nota de R$50,00 no bolso.

Malhe o tempo necessário. Assim que terminar, acerte com seu/sua personal trainer um trato. Entregue os R$50,00 para ele/ela e diga que vai pegar amanhã quando voltar para malhar. Diga mais, diga que se você não for buscar, que o/a personal trainer pode ficar com o dinheiro.

Repita esse padrão e me diga que resultado você conseguiu.

No próximo post vou dissecar mais comportamentos do sucesso.

Até lá e se cuida!

João Lins.

 

Já Pensou se Existisse uma Fórmula do Sucesso? Conheça os 5 comportamentos que levam vencedores ao sucesso

Saudações a você!

Seja bem vindo e seja bem vinda ao vlog Eu Posso, Sim!

Em primeiro lugar, vou te explicar a ausência de postagem nas duas semanas passadas, incluindo a publicação do podcast #PapoSério. Recebi uma proposta de emprego (ou melhor, de empresabilidade) que está mudando minha vida e da minha família e assim que tudo se estabilizar eu estabilizo as publicações aqui. Mas o importante é que eu garanto a publicação frequente de conteúdos qualificados aqui no vlog.

Vamos à postagem de hoje!

Você já parou para pensar que a única coisa que separa um ser humano do outro é a diferença fisiológica? Que o limite de cada um de nós tem a ver com o limite do corpo? Que a nossa biologia é a única barreira real ao nosso sucesso? E que a nossa mente é a única arma que temos para superar esta barreira real?

Imagina você que possui menos de 1,65m e sonha em jogar basquete profissional como um Michael Jordan…

Pergunto:

Qual a maior impossibilidade que você possui?

Se você respondeu “a fisiológica”, acertou!

Agora, imagine nós, humanos. Não temos nada de especial na Natureza, como garras, dentes grandes para nos proteger, ou asas para voar, etc. Esses são limites fisiológicos, biológicos. Assim, pergunto: como conseguimos chegar até este momento da História se mal temos fisiologia para nos proteger de bichos de médio e grande porte?

Se você respondeu “com a inteligência”, acertou novamente.

Parabéns!

Eis nosso grande diferencial para que tenhamos avançado como espécie. E essa é a nossa mais poderosa arma na conquista do sucesso, nossa inteligência, nossa mente.

Eu separei os 5 comportamentos que fomentam o sucesso e irei falar sobre cada um deles em detalhe. São eles a vontade, a disciplina, o esforço, o foco e a persistência. Esses cinco comportamentos se relacionam criando uma rede entre si que potencializa um ao outro. E essa potencialização gera uma energia que constrói o sucesso pessoal que você tem buscado. Note que todos estes comportamentos advêm de uma capacidade mental, a capacidade de usar a sua inteligência ao seu favor mudando hábitos e forma de pensar.

Neste post, irei falar sobre eles de forma introdutória, posteriormente irei dissecar todos eles para você.

Vamos lá!

Vontade

Somos seres de vontade, pois somos seres que possuem egos. Nossa vontade é governada pelo ego que possuímos. Se você tem vontade de trabalhar em algum local ou em uma função específica, é por que isto agrada ao ego, se alinha ao ego; se você tem “preguiça” de executar alguma função ou trabalho, é por que isto desagrada ao ego; se você tem vontade de comer uma comida agora e quando você vai pegá-la alguém derruba o alimento no chão, isto irá ser frustrante e desagradará ao ego, logo você se irritará.

Ego, ego e ego.

A vontade tem tudo a ver com Ego e iremos dar detalhes maiores no próximo post. Prepare-se.

Disciplina

Dizia, o Renato Russo, em uma das letras do Legião Urbana, que “disciplina é liberdade”. Aliás, esta é uma das letras que mais curto em Legião Urbana.

Quem possui disciplina se aproxima e conquista o sucesso. Mas por qual motivo?

O motivo é que nós, humanos, somos amantes da preguiça. Quase me sinto forçado a afirmar que a preguiça é instintiva. Mas como todo comportamento humano pode ser mudado, também podemos afirmar a possibilidade real de obter sucesso através da disciplina.

Assine o vlog Eu Posso, Sim! e acompanhe o desenvolvimento deste tema no próximo post.

Esforço

Até o momento você entendeu a função da vontade e da disciplina na conquista do sucesso. Mas imagina vontade e disciplina se não nos empenhamos para fazer acontecer? Sem esforço, nem a vontade, nem a disciplina acontecerá de forma a causar algum efeito de sucesso.

Mas o que é, realmente, o esforço?

Assine o vlog Eu Posso, Sim! para acompanhar o desenvolvimento de mais este comportamento do sucesso.

Foco

Quando viajamos sem destino estamos gastando dinheiro, energia e tempo. Como diz o coelho da Alice, “se você não sabe para onde vai, qualquer caminho serve.”. Este comportamento é um princípio que encontramos na Natureza. A água, simples (duas moléculas de hidrogênio e uma de oxigênio) e levemente, com foco, gota a gota perfura rochas de alta dureza.

Vamos aprofundar mais sobre este aspecto mais à frente.

Acompanhe-nos.

Persistência

Persistência é o uso estratégico da inteligência que você possui. A palavra “persistir” vem com um prefixo – per – que gerou a palavra “por” na língua portuguesa, e tem o sentido de “através”. Persistência é sua capacidade de atravessar um muro, uma barreira. Imagine um muro à sua frente. Para atravessá-lo o que você imagina?

Se você imaginou derrubá-lo de forma mágica como numa explosão, então falta-lhe persistência.

Assine o vlog Eu Posso, Sim! para saber mais sobre este comportamento.

Até o próximo post!

João Lins.

Quer Ganhar o Poder Mágico do Sucesso?

Olá, tudo certinho com você?

Em primeiro lugar, quero agradecer a sua presença aqui no vlog Eu Posso, Sim!

Será nesta semana que você terá acesso à série de podcasts denominados #PapoSério, uma série de conversas que terei com o profissional de Programação Neurolinguística, Consultor e Coach, Miguel Mar.

Acompanhe-nos aqui no vlog, vêm coisas muito bacanas aí para você!

E hoje, nesta postagem, irei compartilhar com você a técnica de negociação interna – se quiser, pode consultar o post complementar A Força do Diálogo Interno – que me ajuda constantemente na área de gestão emocional¹.

Primeiramente, precisamos definir alguns pontos. Vamos a eles!

Na semana passada, falei sobre o conceito de partes que a Psicologia, de forma geral, apresenta em suas abordagens. Aqui, iremos considerar que nós, humanos, temos duas partes, uma que é incentivadora e outra que pode nos sabotar.

A parte incentivadora e motivadora é nossa aliada direta e não queremos que ela mude, certo?

Vamos tratar da outra parte, então. Ela pode nos sabotar por que tem força de decisão sobre nossa vida. Mas essa parte faz parte do que você é e como falei na semana passada, ela deseja te ajudar, tem intenção positiva. Uma das características dela é que é uma parte primitiva e busca prazer imediato. É esta parte que te diz para ficar em casa ao invés de ir estudar, que te diz que é melhor ficar assistindo TV ou te questiona perguntando para quê acordar cedo no sábado e ir fazer o que te ajudará no futuro se você pode desfrutar de um bom soninho agora…

Note que esta parte de você não consegue olhar para os benefícios futuros, somente para os imediatos. É como uma criança birrenta que bate o pé dizendo o que quer e quer agora.

Lembro de uma experiência que foi feita com crianças nos Estados Unidos:

Os pesquisadores levavam a criança para uma sala com uma mesa e duas cadeiras dizendo que iria fazer uma entrevista com elas. O entrevistador pedia licença dizendo que iria pegar o material da entrevista e deixava a criança ali sentada com um doce sobre mesa e dava a seguinte instrução:

“Se você quiser, pode pegar o doce. Mas se me esperar chegar e não tiver comido eu te dou outro.” – E saia durante alguns minutos.

Fez este procedimento com todo o grupo de crianças avaliadas. Mais tarde, após alguns anos, os mesmos pesquisadores foram saber como estava a vida daquelas crianças que, agora, estavam jovens.

Os resultados foram muito interessantes. Houve uma relação direta entre as crianças que aguardavam o pesquisador retornar com a intenção de ganhar outro doce e o sucesso profissional dos jovens. Ou seja, as crianças que sabiam aguardar para obter mais doce se tornaram jovens com maior propensão ao sucesso profissional. Enquanto que aquelas “apressadinhas” se tornaram jovens com menor propensão ao sucesso profissional.

Eu diria que todos nós somos, ainda, crianças que podem escolher esperar para obter mais ou crianças que se apressam a consumir o doce logo ali, imediatamente. Um lado de nós sabe que esperar será muito mais proveitoso e o outro lado nos incentiva a obter prazer imediato. Este último lado é a criança birrenta de que te falei há pouco, ela tem energia para bater o pé, chorar e fazer barulho, ela tem força de ação. Logo, temos que puxá-la para nosso lado, como aliada. Mas como?

É isto que você irá aprender agora.

 

A Técnica de Negociação Interna

Digamos que você queira emagrecer. Hoje você se encontra com 80 quilos e quer diminuir 15 quilos para adequar seu peso à sua altura.

Se você tem 15 quilos a mais, significa que um ou alguns EUs estão participando nas decisões que fazem você engordar ou manter esse peso inadequado.

Agora que contextualizamos, vamos à técnica:

a)    Busque um ambiente silencioso e com baixa possibilidade de interferências;

b)    De olhos fechados, pergunte aos seus EUs o seguinte: “Olá, desejo a ajuda de vocês para que nós obtenhamos benefícios. Qual de vocês ou quais, estão me incentivando a ficar neste peso X (ou: me manter engordando)?”;

c)     Aguarde de olhos fechados para perceber se algum EU – ou alguns EUs – se manifesta;

d)    Se algum EU se manifestar, pergunte a ele: “você pode me ajudar respondendo algumas perguntas?” (se forem mais de um, pergunte no plural);

e)    Perceba se a resposta é positiva. Se for, significa que aquele EU deseja cooperar. Se for negativa, significa que você terá que negociar com ele. Minha dica é que se o EU não deseja cooperar, que você ofereça algo em troca para ele, como um benefício ou um prêmio se ele ajudar;

f)      Assim que você conseguir a cooperação do EU ou dos EUs – se for mais de um, converse com cada um deles em separado –, pergunte o seguinte: “qual a sua função?” (descubra se se trata de um EU da criatividade, ou da força, ou da inteligência, ou da motivação, ou da preguiça, etc.. Para cada papel que temos e desempenhamos, há um EU governando);

g)    Pergunte: “E qual o motivo de você estar envolvido no fato de estarmos com 15 quilos a mais (aqui você cita o problema que necessita ser mudado)?”;

h)    Pergunte, agora: “Como você poderia obter este benefício que acaba de citar, através de outro caminho, diferente de ficarmos 15 quilos acima do peso? (cite o problema a ser mudado aqui)”;

i)       Finalize a conversa com o EU – ou o primeiro EU, dos envolvidos na questão – perguntando: “Eu desejo a sua ajuda para mudarmos essa situação e gostaria de saber o que posso te dar, caso você me ajude.” Aguarde a resposta dele, provavelmente ele irá desejar um prêmio em troca de te ajudar. Negocie.

Se tiver mais de um EU, direcione suas perguntas da letra “d” em diante agora para o próximo EU. Você repetirá esta técnica quantas vezes forem a quantidade de EUs envolvidos.

Lembre-se que uma negociação pode ter efeitos rápidos e efeitos lentos. Portanto, se for necessário, volte a negociar com os EUs em outros momentos até obter sucesso nos resultados.

Eu quero receber seu feedback a respeito da aplicação desta técnica. Se tiver alguma dúvida, pergunte aqui nos comentários. Aplique e me conte a sua experiência.

Se cuida e até semana que vem!

João Lins.

 


¹ Gestão Emocional – se refere à capacidade de administrar as emoções diante de situações desafiadoras, como por exemplo, controlar nossa ira diante de um superior que, em determinado momento nos provoca a vontade de ir no pescoço do mesmo; ou quando nossa emoção nos diz que devemos fechar aquele negócio imediatamente. Nestes dois exemplos, a Gestão Emocional atua como um regulador de decisões, se trata de uma ferramenta que nos ajuda a tomarmos melhores decisões, mesmo em situações extremas.

O que Você daria aos seus Inimigos?

Conta-se que há muito tempo atrás um jovem visitou uma tribo americana e em contato com o Xaman aproveitou a sabedoria centenária daquele homem perguntando como ele e aquela tribo percebiam a vida do ser humano.

O Xaman respondeu dizendo:

– Em mim existem dois lobos; um bom e um mau. Ambos vivem em guerra constante.

Então, o jovem e curioso rapaz pergunta:

– Se eles vivem em guerra, qual dos dois vence a batalha?

Ao que o Xaman, percebendo nos olhos do rapaz certa apreensão, diz:

– Vence a batalha aquele que eu mais alimentar.

Seja bem vindo e seja bem vinda ao vlog Eu Posso, Sim!

Apesar das muitas variações das teorias psicológicas, muitas escolas da Psicologia concordam com a visão de que o ser humano é constituído de partes. É por isto que há autores que demonstram que existem diversos “eus” em cada ser humano, ou teorias que demonstram que exercemos diversos papéis na sociedade ou, ainda, teorias que consideram que o ser humano é uma parte consciência e outra inconsciência, além de outras visões. Mas em várias delas o ser humano é percebido como de diversas dimensões.

Aqui, vamos considerar que há pelo menos duas partes básicas: um lobo bom e um lobo mau. Uma parte que te incentiva e outra que pode te punir.

Punir?!

Sim, isso mesmo. Sabe quando uma pessoa tem uma importante entrevista de emprego e esquece a hora ou o dia e isto a faz perder a possibilidade de ganhar essa importante oportunidade?

Ou quando uma pessoa muda de relacionamento com alguma frequência e sempre se relaciona com pessoas que a maltrata ou possui uma característica específica que a prejudica física ou emocionalmente?

Outro exemplo: quando determinada pessoa deve estudar para uma avaliação e estuda mal por que não percebeu o tempo passar assistindo televisão ou navegando na internet?

Todos esses exemplos são frutos do que chamamos de Autossabotagem. A autossabotagem se caracteriza quando nós criamos situações que minam nosso êxito ou nosso sucesso em algum ponto ou atividade. É como se um inimigo oculto desenhasse uma espécie de sabotagem contra nós. Ocorre que esse inimigo, nesse caso, somos nós mesmos. Uma parte nossa se volta contra nós mesmos, um lobo mau, sabe como?

A ideia de autossabotagem está ligada à ideia de autopunição. É comum acontecer de nós criarmos uma situação sabotadora de nossa conquista pelo fato de, em algum local de nossa mente, acreditarmos que não merecemos aquele êxito, que não somos dignos daquele sucesso. Já li e ouvi muitas pessoas falarem deste aspecto de nosso comportamento como “medo de vencer” ou “medo do sucesso”.

Parece uma ideia estranha, não é?

Mas vou explicar o motivo de muitas pessoas terem medo do sucesso e, por conta deste medo, se punirem quando se aproximam do êxito.

Imagine um líder com incontáveis seguidores. Agora, coloque-se no lugar deste líder. Você, um líder com incontáveis seguidores. É muito provável que a principal preocupação de um líder seja perder a liderança. Ou melhor, perder a liderança por falta de constância na gestão de seu lugar de líder, por incompetência; ou por que foi derrubado. As duas situações são uma punhalada no ego do líder.

Por medo de perder autoridade ou liderança conquistada e receber esta punhalada no ego é que muitas pessoas criam para si situações evitadoras de êxito. Preferem nem se aproximar do sucesso, uma vez que se tiverem sucesso se tornarão o centro das atenções e, sendo centro das atenções, as falhas que possuem estarão sob o julgamento de muito mais pessoas.

Agora, você pode estar se perguntando:

se é uma parte de mim, como essa parte pode querer me prejudicar?

Esta é uma ótima pergunta!

Na verdade, este “lobo mau” não deseja que você se rale ou se destrua. Por princípio, tudo em você deseja algo de positivo para você, por mais incoerente que esta ideia possa parecer com o que eu afirmei há pouco.

O que acontece, na verdade, é que quando esse outro eu, ou esse outro lobo te sabota, ele está te protegendo em algum grau. Digamos que você esqueceu a data da entrevista do emprego por que na visão deste lobo, trabalhar naquela empresa ou naquele emprego ou naquela função é algo muito danoso para você. Então, para te proteger desta “previsão” – entre aspas mesmo –, ele te impede através do esquecimento.

Ou no caso do relacionamento amoroso com pessoas que te prejudicam, é por que esse seu outro eu escolhe uma pessoa que na visão desse eu pode te dar “amor verdadeiro”, como você aprendeu ao longo da sua vida.

Mas todas essas verdades deste lobo que deseja te ajudar, mas acaba te prejudicando podem – e devem – ser questionadas.

Há uma técnica poderosa de Programação Neuroliguística (PNL) que nos ajuda a organizar a relação dos diferentes Eus que possuímos. Trata-se, em resumo, de uma negociação que podemos mediar entre esses Eus.

Para explicar esta técnica, necessitarei de um post. Por isto, te convido a assinar o Vlog Eu Posso, Sim! para receber as atualizações em sua caixa de email automaticamente e não perder nada!

Ainda mais, esta semana é uma semana de novidades: iniciaremos uma série de podcasts chamada “#PapoSério”, onde você terá acesso a mais conhecimento especializado para o seu sucesso pessoal. Assine o Vlog Eu Posso, Sim! para receber o primeiro podcast da série em seu email!

Desejo que o seu Outubro seja mais rico que o seu Setembro.

Até semana que vem!

João Lins.